Geomorfologia

parque-018

Na região, encontramos uma variedade de ambientes propícios à ocupação humana pré-histórica. A forma do relevo gerou abrigos naturais e há uma boa oferta de fontes de matéria-prima.

parque-005

A diversidade da paisagem do Parque resulta do encontro de duas estruturas geológicas diferentes: uma planície e uma série de planaltos, cujo contato gerou uma imensa linha de paredões verticais de grande beleza, chamada cuesta. O relevo do Parque apresenta, portanto, três morfologias: o reverso da cuesta, a chapada; o front da cuesta, a escarpa; e a planície com morros isolados. Esse foi o ambiente que os grupos humanos ocuparam na pré-História.

geomorfologia_resize_01

As chapadas são as partes mais altas do relevo, formadas por rochas sedimentares. Nessas áreas, existem afloramentos de arenito silicificado, matéria-prima para a produção de ferramentas líticas. Em algumas dessas áreas são encontrados os sítios arqueológicos do tipo oficina lítica.

Na escarpa do front da cuesta, os abrigos sob-rocha foram esculpidos pelas águas. Nesses locais é que encontramos os sítios arqueológicos com registros rupestres.

geomorfologia Fig. 220 - Formações rochosas na área do sítio do moco_resize_01

Na vasta planície que recobre a área desde o Rio Piauí até o sopé da escarpa, existem algumas colinas, paleolagoas e maciços calcários. Em cada um desses ambientes encontram-se sítios arqueológicos: abrigos em entradas de cavernas, oficinas líticas com ferramentas feitas em quartzo, quartzito e sílex, acampamentos humanos pleistocênicos e aldeias de grupos ceramistas. Nas lagoas e nas proximidades dos cursos d’água existem fontes de argila que permitem a produção de utensílios cerâmicos.

geomorfologia Fig. 244 - Morfologia insólida da paisagem_resize_01

A diversidade de ambientes e de matérias-primas associada a um clima úmido, em tempos pré-históricos, deve ter sido o grande atrativo para a ocupação da região. As mudanças climáticas que propiciaram a progressiva instalação de um clima semiárido, favoreceram a conservação dos sítios arqueológicos que vêm gradativamente sendo descobertos no Parque e em seu entorno.

Voltar